Deus espera uma resposta sua.

11:18

O profeta Jonas recebe uma ordem de Deus (uma palavra pessoal revelada), para ir a Nínive e pregar contra ela, dizer que sua maldade havia chegado ao Céu, e se não houvesse um profundo arrependimento, a destruição seria inevitável.

Jonas, porém, faz um caminho oposto a ordem divina, e toma um navio para Társis na Espanha, fugindo assim da determinação de Deus. É interessante que o Espirito Santo fez questão de usar a palavra “fugir”, várias vezes no livro ( Jon.1:3,4:2).

Se o Senhor fez questão de registrar a fuga de Jonas, alguma coisa Ele nos queria revelar, pois Deus não faz nada sem propósito. Na verdade, o profeta tornou-se um fugitivo em relação a Deus. Vamos ver então, que exemplo ele nos legou, observando as características de uma pessoa que está fugindo de Deus.

1-) ELE SE OMITE

É interessante notar que Jonas, ao receber a ordem divina, não disse nem sim nem não. Ele simplesmente fugiu para outro lugar. Deus esperava uma resposta dele, e ele fica em silêncio, e ao fugir, ele se omite.

As ações divinas em relação ao homem, exigem uma resposta imediata a Deus. O Senhor entenderia perfeitamente se Jonas dissesse não. Ele imediatamente levantaria outro profeta. O que Deus reprovou, foi a atitude do profeta de simplesmente fugir, sem lhe dar nenhuma resposta.

NA OBRA DE DEUS, É MELHOR ERRAR POR AÇÃO DO QUE POR OMISSÃO, QUANTO À VONTADE DIVINA!!!

Tem muita gente sofrendo hoje por que carregam consigo o estigma de fugitivo. Deus espera deles uma resposta (nem que seja negativa, pois Ele respeita o livre arbítrio do homem), e vivem fugindo, protelando a decisão, pois tem medo de dizer um “não” à Deus.

Deus entenderá o seu “não”, o que Deus não aceita mais é essa sua omissão em relação à resposta, essa sua vida de fuga em relação ao querer divino.

Na parábola dos talentos, Jesus deixou isso bem claro. O maior erro do que recebeu apenas um talento, foi não ter usado aquele que recebeu. Ele subestimou aquela oportunidade e pagou caro por isso.

Seria bem mais simples ele dizer ao dono dos talentos que não queria, que desse a outra pessoa o talento, do que te-lo escondido na terra, deixando-o sem uso durante muito tempo (Mat.25:19). Seu maior erro foi a omissão.

Querido irmão, a omissão é um pecado que custa caro ao ser humano. Isso para Deus é uma fuga. Quer você queria ou não. Deus exige desprendimento. Deus espera um sim ou não. O que não dá mais é ficar postergando e protelando a decisão. Saiba que você pode estar atrasando o plano e o trabalhar de Deus em sua vida.

ELE PERDE TODA DEVOÇÃO

O que se espera de um profeta de Deus? No mínimo, uma profunda e intensa comunhão com Ele...

Parece porém que esse não era o caso do profeta Jonas. Em seu curto livro, ele ora apenas duas vezes. Uma no ventre do peixe, numa atitude de desespero, e outra uma de ressentimento, revoltado por Deus ter polpado Nínive.

Tomo emprestada uma frase que li a algum tempo atrás, que não lembro a fonte, por isto, vou omitir os créditos, mas expressa todo meu pensamento: “O coração de qualquer pessoa, investida de representação celestial, tem que pulsar nas batidas do coração de Deus”.

Jonas tinha perdido a sintonia com o propósito divino. Não sentia nem mesmo remorsos quanto mais arrependimento. Quando todos os marinheiros apelavam para suas malfadadas crenças, ele dormia profundamente o sono da indiferença no fundo da embarcação (Jon.1:5).

É difícil para uma pessoa, saber que seu relacionamento com Deus não está nada bem, conseguir orar tranqüilamente. Um drama de consciência o atinge. Sofrer, sabendo que deve o que está sofrendo, não nos deixa aproximar-nos de Deus pedindo auxílio. Pelo contrário, nos faz deixar a vida ir a toa, pensando que o próprio tempo arruma a situação. Ledo engano. Deus exige um concerto para reativar suas promessas e bênçãos...

Pensamos que é preferível dormir (como Jonas) e acordar, fingindo estar tudo bem. Cuidado! É no meio do sono que chega o temporal e, como clamarás se perdestes a comunhão com o altíssimo?

Um coração ressentido, amargurado e sem expressões de júbilos e adoração, é a marca maior de alguém que está em rota de fuga de Deus...

Numa atitude de extremo desespero, no ventre do peixe, Jonas clama aflito e desesperado, e ali, em meio às trevas ele faz a Deus um voto, prometendo renovar seus sentimentos de devoção a Deus (Jon.2:9). Não espere chegar no fundo do mar meu caro leitor renove hoje sua comunhão com Deus, e deixe de fugir da sua presença...

SINAS DE QUE DEVEMOS A DEUS UMA RESPOSTA

1-) PERDEMOS A DEVOÇÃO PESSOAL (Jon.2:1e9) – Jonas perdeu todo sentimento espiritual. Orou apenas duas vezes em todo seu livro: Uma no ventre do peixe, numa atitude de extremo desespero, e outra quando estava ressentido e magoado por Deus ter poupado Nínive. O que se espera de um profeta de Deus? No mínimo, que viva em profunda comunhão com Ele. Mas fazer o que, se Jonas estava em falha com esse Deus... A verdade é que quando deixamos de buscar ao Senhor, e deixamos nossa vida de devoção a Ele, é um péssimo sinal. Precisas dar uma resposta a Deus...

2-) FICAMOS INDIFERENTES (Jon1:5) – Enquanto lá em cima, no navio, todos apelavam a seus deuses e suas malfadadas crenças, o profeta do Deus vivo, dormia, indiferente e alheio a tudo o que ocorria à sua volta. Jonas tentava “empurrar com a barriga”, uma situação que infelizmente fora ele que criara. É sempre assim, quem deve uma resposta a Deus, sempre finge que não é com ele que Deus está falando ou agindo. Procura na indiferença, levar a vida, achando que Deus nunca vai encontra-lo. Ledo engano...

3-) COLOCAMOS NOSSOS INTERESSES ACIMA DOS DE DEUS (Jon.4:2,10e11) – Enquanto Deus demonstrava seu intenso e profundo amor por um povo pervertido, sanguinário e pecaminoso, Jonas queria colocar seus interesses bairristas e pessoais acima dos de Deus. Queria que o coração divino pulsasse no ritmo do seu. Seu exagerado nacionalismo hebraico era maior do que a misericórdia divina. Qualquer pessoa que egoisticamente defenda seus interesses e tenta justificar suas razões acima de qualquer coisa, é gente que está em fuga contra Deus...

4-) ENFRENTAMOS CRISES EXISTENCIAIS (Jon.4:3) – O profeta prefere a morte quando seus interesses não são consumados. Desiste da vida em um momento em que os céus estavam em profundo júbilo com a conversão da grande cidade. Entristece-se quando a glória de Deus se manifesta, mas não é de acordo com seus ideais e projetos pessoais. Qualquer pessoa que está fugindo da missão de Deus enfrenta essa situação. Elias também é um belo exemplo disso.

5-) INVERTEMOS VALORES – Para Jonas, uma simples aboboreira que nasceu milagrosamente de manhã e à tarde milagrosamente também se secou, tinha mais valor do que cento e vinte mil almas, que milagrosamente se converteram ao Deus vivo. Quando estamos em rota de fuga, começamos a inverter valores espirituais. O que vale passa a não valer e o que não vale passa a valer (Jon.4:11).



6-) TORNAMO-NOS INSENSÍVEL AO AGIR DE DEUS - Deus realiza um grandioso milagre à sua volta, com pessoas e até mesmo animais se humilhando diante de Deus, por sua mensagem simples e objetiva, mas ele prefere ignorar o milagre, ou o agir de Deus, por causa de sua insensibilidade espiritual. Nunca se ouviu falar de um pregador assim, com esse nível de unção, conquistar uma cidade com uma mensagem pequena, mas poderosa, e que mesmo assim, não se alegra com os frutos de sua mensagem. Insensibilidade é terrível!!!



7-) PERDEMOS OS REFERENCIAIS E IDEAIS ( Jon.4:1a5) – Mesmo após Deus alterar os planos de destruir Nínive, e poupa-la por sua misericórdia, Jonas sai para fora da cidade e fica esperando o que vai acontecer com ela, extremamente ressentido. Um profeta ressentido perde os ideais e referenciais de vida. Para ele, pouco importa como Deus está fazendo, ele se sente o centro das atenções. Julga mais interessante que Deus atenda seus desejos e vaidade pessoal.

DEUS NÃO DESISTE FACILMENTE

Quando Deus tem um propósito na vida do homem, e ele tenta desviar-se desse propósito, o Senhor insiste com ele. Deus não desiste facilmente.

MOISÉS

Tentou fugir, apresentando pelo menos cinco desculpas para não assumir a responsabilidade de tirar o povo do Egito (Ex.3e4). Note que em nenhum momento Moisés diz claramente a Deus que não iria. Aqui nos parece mais um caso de humildade do que omissão. Ele sentia-se realmente incapacitado para a missão.

Deus então lhe apresenta as armas e lhe dota de todas as condições necessárias para a vitória. Diferente de Jonas que simplesmente fugiu da responsabilidade.

GIDEÃO

Tentou argumentar com Deus dizendo-se o mais inferior e incapacitado para livrar Israel das mãos dos midianitas, e mesmo depois de conhecer os planos do Senhor, solicitou-lhe fazer provas para ter certeza do propósito divino (Jz.6:11a23).

JEREMIAS

Sentia-se como criança, isso é, insuficientemente preparado para profetizar os “pesos” de Deus diante do povo. Somente depois que Deus lhe tocou e colocou em sua boca suas próprias palavras, é que ele sentiu-se capacitado para exercer o ministério (Jer.1:6a9). É maravilhoso, ver a insistência divina diante da obstinência do homem... Não... Deus não desiste facilmente, e não tem argumentos que o convença a desistir...

PODEMOS DIZER NÃO A DEUS???

Sim. E ele aceita e entende isso. O problema é arcarmos com as conseqüências disso. Nem sempre dizemos não com palavras. Às vezes, com nossos atos errados dizemos não a Ele:

ESAÚ

Quando trocou sua primogenitura por um prato de lentilhas, ele disse não a Deu s. Mostrou ao Senhor que ele não queria o direito de ser o herdeiro-mor de Abraão. O que para ele foi uma simples brincadeira de adolescência, foi tratado pelos céus como profanação.

SANSÃO

Ao revelar o segredo de sua força a Dalila, Sansão estava indo muito mais longe do que demonstrar a moça que ele a amava. Ele estava simplesmente rejeitando a benção de julgar o povo de Deus e ser o guia e líder daquela gente. Quanto prejuízo...

OS DOIS MOÇOS

Jesus contou uma bela parábola de um homem que tinha dois filhos, e pediu que o primeiro fosse trabalhar na sua vinha. Ele disse que não ia, mas depois foi. O outro disse que iria, e depois não foi. Fica claro que o primeiro foi o mais honrado, pois mesmo dizendo não, arrependeu-se a tempo e foi. Enquanto que o segundo nem se deu ao luxo de procurar o pai, para dizer que não poderia cumprir o compromisso. A todo o momento é hora de dizer sim ao Senhor...

Leia Também

0 comentários

Agradeço por comentar no blog.
A sua opinião ajuda a melhorar o blog.Deixa o seu link para que eu possa retribuir.
Volte sempre.

O que as pessoas comentam..

Postagem em destaque

- Instrução -